Home > Mobilidade Urbana > Como pode a linha-3 vermelha do metrô já ter tido 16 panes só neste ano?

Como pode a linha-3 vermelha do metrô já ter tido 16 panes só neste ano?

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp
Como pode a linha 3-vermelha do metrô já ter tido 16 panes só neste ano?

Passageiros aguardam trem na estação Sé do metrô, na região central, durante pane registrada no fim de 2015. Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas (21/12/2015)

Quem usa diariamente a linha 3-vermelha do metrô já está acostumado com as recorrentes falhas na circulação de seus trens.

Só neste ano, ao menos 16 panes ocorreram na linha 3-vermelha. O número ainda está abaixo dos registrados em anos anteriores: em 2014, foram 23; em todo o ano passado, 21. É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados do Metrô de São Paulo obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação.

A grave falha da linha, que afetou a circulação de seus trens entre quarta e quinta-feira, se deu após um período de calmaria no sistema metroviário. De acordo com dados oficiais, o metrô não registrou nenhuma falha grave entre julho e setembro deste ano.

Crise tirou 86 mil usuários do metrô por dia em SP

Reportagem do “Estadão” mostrou que a disparada do desemprego, que se prolonga desde o fim de 2014 em São Paulo (e também no restante do país), tirou 86 mil passageiros por dia do metrô paulistano neste ano. Essa análise tem como foco o período de janeiro a maio de 2016 e abrange dados das seis linhas do sistema metroviário.

De acordo com essas informações, a média de passageiros transportados por dia caiu 4,46 milhões para 4,37 milhões do ano passado para cá. O atual número é o mesmo registrado em 2013, segundo a reportagem.

Em entrevista ao Estadão, o diretor de operações do metrô, Mário Fioratti, afirmou que, pela primeira vez na história, o metrô registrou a queda do número de passageiros transportados pelas linhas 2-verde e 5-lilás.

Menos passageiros significa menos receita para a empresa. A estimativa é que haja uma queda de 60 milhões na receita do metrô neste ano, ainda conforme a reportagem.

Após Jornada de Junho de 2013, transporte virou direito social

Uma das reivindicações dos organizadores dos protestos que sacudiram o país em junho de 2013 (fenômeno também conhecido como Jornada de Junho) foi pressionar o Congresso Nacional a incluir o transporte no rol de direitos sociais previstos pela Constituição Federal no seu art. 6º.

E foi o que aconteceu em setembro de 2015, após longa tramitação entre a Câmara dos Deputados e o Senado.

A PEC 74/2013 foi uma iniciativa da deputada Luiza Erundina (na época, integrante do PSB paulista) e teve, no Senado, a relatoria de Aloysio Nunes.

Por que isso é importante?

A Lei nº 12.587/2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, no seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei diz, no seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Segundo essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”.

Número de falhas se mantém nos padrões internacionais de qualidade e segurança, afirma metrô

Procurado para comentar as falhas registradas no primeiro semestre deste ano, o Metrô de São Paulo disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que a quantidade de panes em suas linhas se mantém nos padrões internacionais de qualidade e segurança.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que o órgão enviou à reportagem:

“Todos os sistemas de metrô do mundo estão sujeitos a falhas e elas são proporcionais ao número de viagens realizadas, à quilometragem percorrida e à quantidade de passageiros transportados. Diariamente, o Metrô de São Paulo transporta cerca de 4 milhões de passageiros, realizando mais de 3.500 viagens, com 60 mil quilômetros percorridos, em média. Somente no primeiro semestre de 2016, os trens do Metrô percorreram 173,5 mil quilômetros a mais do que no mesmo período de 2015.

Ressaltamos que a quantidade de incidentes notáveis se mantém nos padrões internacionais de qualidade e segurança, mostrando que o Metrô de São Paulo é um sistema de transporte regular, confiável e seguro, considerado internacionalmente como um dos dez melhores do mundo.”

Comentários

comentários

Você também poderá gostar
Trecho da ciclovia da rua João Moura, na região da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Foto: Léo Arcoverde/Fiquem Sabendo
20 bairros com mais roubos e furtos de bicicletas em São Paulo em 2017
Roubos de bicicletas mais do que dobram em SP em 2 anos; Pinheiros lidera estatística
Roubos de bicicletas dobram em São Paulo em 2 anos; Pinheiros lidera estatística
Governo Alckmin não lê pergunta que se nega a responder via Lei de Acesso à Informação
Governo Alckmin não lê pergunta que se nega a responder via Lei de Acesso à Informação
Governo Pezão diz não ter servidor para responder pedidos via Lei de Acesso à Informação
Governo Pezão diz não ter servidor para responder pedidos feitos via Lei de Acesso à Informação