Home > Gastos Públicos > Amapá é o único estado do país onde mulheres ganham mais do que homens

Amapá é o único estado do país onde mulheres ganham mais do que homens

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp
Amapá é o único estado do país em que mulheres ganham mais do que homens

Em todo o país, salário médio da mulher é R$ 490 menor que o do homem. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado (31/10/2014)

O Amapá é o único estado brasileiro em que o rendimento médio da mulher é superior ao do homem, segundo dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) referentes ao terceiro trimestre deste ano. Lá, as mulheres ganham em média R$2.014, R$53 a mais que os homens, que ganham R$1.961. Uma diferença salarial de 3%. No país, o salário do homem é 31% maior que o das mulheres (média de R$2.044 ante R$1.549).

O aumento do rendimento médio feminino já vem acontecendo há alguns semestres. Em um ano (entre o terceiro trimestre de 2015 e o mesmo período deste ano), esse indicador saltou 23,7%. O aumento foi de R$386, sendo o maior responsável por elevar as porcentagens a capital do estado, Macapá, onde o rendimento médio feminino é R$2.257, o maior da região Norte.

Há um ano, o rendimento médio das mulheres do Amapá era de R$1.731. Hoje, com 20,5% a mais, elas recebem em média R$2.086.

Com 782.295 habitantes, o Amapá é o segundo estado menos populoso do país. Só fica à frente de Roraima, com 514.229 habitantes. Esses números fazem parte de estimativa populacional feita neste ano pelo IBGE.

Região norte tem menor diferença salarial

O Amapá faz parte da região brasileira onde a diferença de rendimento entre os sexos é a menor em todo o país. Na região Norte, a diferença de rendimento entre homens e mulheres é de 13,6%, segundo a PNAD referente ao terceiro trimestre de 2016.

Ainda assim, a exemplo de outras áreas do país, na região Norte, a mulher ainda ganha, em média, menos do que o homem.

Norte, Nordeste e Centro-oeste são as regiões brasileiras com menores discrepâncias nos salários de homens e mulheres, de acordo com o IBGE. Respectivamente, nessas regiões, a mulher ganha 13,61%, 16,41% e 30,03% a menos que os homens.

Na região Sudeste, as mulheres ganham 35,95% a menos do que os homens, em média. Nos estados do Sul, esse indicador é de 34,69%.

As perspectivas para as mulheres que vivem no Norte são positivas. De um ano para cá, o rendimento médio feminino aumentou 13% (de R$1.275 para R$1.446); o salário dos homens cresceu 6% no período. Esse crescimento foi responsável por diminuir em nove pontos percentuais (de 19% para 10%) a diferença salarial entre homens e mulheres.

* Reportagem de Bianca Gomes de Carvalho com a colaboração de Beatriz Consolin e Carolina Brandileone.

Comentários

comentários

Você também poderá gostar
Denúncias de abuso sexual nos ônibus mais que triplicam em SP
Explode número de denúncias de abuso sexual nos ônibus em São Paulo
Inflação do serviço de saúde é 44% superior a índice da PEC 241
Inflação do serviço de saúde é 44% maior do que índice da PEC 241
334 professores pedem demissão ao Estado por mês em 2016 em SP
334 professores pedem demissão do Estado por mês em 2016 em SP