Home > Educação > Bibliotecas da prefeitura: veja os 10 livros mais emprestados

Bibliotecas da prefeitura: veja os 10 livros mais emprestados

Biblioteca de São Paulo, localizada no Parque da Juventude, no Carandiru, zona norte de São Paulo. Foto: Diogo Moreira/A2 FOTOGRAFIA (29/10/2015)

Biblioteca de São Paulo, localizada no Parque da Juventude, no Carandiru, zona norte de São Paulo. Foto: Diogo Moreira/A2 FOTOGRAFIA (29/10/2015)

Zíbia Gasparetto, na quinta colocação, com 120 empréstimos registrados pela obra A verdade de cada um, e Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, com 110 pedidos pelo título A gruta das orquídeas.

Esses dois livros são os únicos títulos brasileiros que figuram no ranking dos dez títulos mais retirados das bibliotecas municipais de São Paulo entre janeiro e fevereiro de 2016.

É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo por meio da Lei de Acesso à Informação.

De acordo com as informações disponibilizadas pela pasta, nove dos dez autores mais procurados nas bibliotecas administradas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) são mulheres _três são americanas e duas são inglesas.

O americano John Green, autor de A culpa é das estrelas e de uma série de outros best-sellers, é o único homem que figura na lista. (Veja o detalhamento dessas informações no infográfico abaixo.)

10 livros mais retirados em bibliotecas públicas de SP

Crime e castigo e Dom Casmurro empatam no 519º lugar

O fato de as bibliotecas da prefeitura servirem de alternativa a muitos estudantes que necessitam ler obras clássicas para atender a exigências das escolas e até de processos seletivos, como o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), faz com que, geralmente, muitos desses livros apareçam em lugares de destaque nesse tipo de ranking. Veja os 10 clássicos brasileiros mais emprestados nas bibliotecas municipais da Cidade de São Paulo.

Algumas dessas, no entanto, acabam ficando de fora das posições mais destacadas do ranking. Dom Casmurro, de Machado de Assis, por exemplo, foi o 519º livro mais retirado nas bibliotecas da prefeitura entre janeiro e fevereiro, com 20 empréstimos registrados. Ele aparece empatado com com Crime e castigo, do russo Fiódor Dostoiévski.

Veja ainda: ‘Diário de um Banana’ lidera procura em bibliotecas públicas em SP entre abril e junho de 2016.

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo