Home > Educação > Governo Alckmin vai chamar 20.895 candidatos aprovados em concurso para professor

Governo Alckmin vai chamar 20.895 candidatos aprovados em concurso para professor

Governo Alckmin vai chamar 20.895 candidatos aprovados em concurso para professor

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Foto: Daniel Guimarães/A2img (25/09/2016)

A gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai preencher 20.895 cargos vagos de PEB 2 (Professor de Educação Básica 2) com candidatos aprovados remanescentes do concurso público para o ingresso na carreira com o prazo de validade em vigor.

O despacho, que autoriza o início do processo que visa à posse dos candidatos, foi publicado no “Diário Oficial do Estado” do último dia 15.

A rede estadual de ensino de São Paulo registrou a exoneração de 2.445 professores entre janeiro e setembro deste ano. Esse número representa a saída de 272 docentes da sala de aula por mês, em média. As informações foram obtidas pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação.

Por que isso é importante?

O direito à educação é um dos direitos sociais previstos no art. 6º da Constituição Federal de 1988.

Segundo o art. 205, também da Constituição Federal, a educação “é um direito de todos e dever do Estado e da família” e “será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

A Constituição prevê, ainda, em seu art. 144, que a segurança pública corresponde a um “dever do Estado” e um “direito e responsabilidade de todos” e que ela é exercida “para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

Comentários

comentários

Você também poderá gostar
Lei de Acesso: o salvo-conduto dos jornalistas
Luta mulheres negras contra racismo
Injúria racial: 1 boletim de ocorrência a cada 6 h no Estado de SP
Aeronáutica tem 1 munição desviada a cada 12 horas; Exército não faz as contas
Marinha não sabe onde estão 19 fuzis desviados de seus quartéis desde 2005