Home > Mobilidade Urbana > 10 avenidas onde há mais acidentes de trânsito graves em São Paulo

10 avenidas onde há mais acidentes de trânsito graves em São Paulo

Avenidas com mais acidentes graves em São Paulo

Carro envolvido em acidente na avenida Paulista, região central de São Paulo, em fevereiro. Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas (24/02/2015)

A estrada do M’Boi Mirim, congestionada via da zona sul de São Paulo que liga o Jardim Ângela e bairros vizinhos à marginal Pinheiros, registrou 78 acidentes de trânsito graves entre janeiro e maio deste ano (quatro por semana, em média). Isso fez dela a via campeã de batidas com gravidade na capital paulista nesse período.

É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), da Secretaria Municipal da Saúde, obtidos por meio da Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

Esse levantamento não leva em conta os atendimentos e os resgates realizados pelo Corpo de Bombeiros em locais de acidente de trânsito.

De acordo com os dados do Samu, a avenida Dona Belmira Marin, principal via do Grajaú, também na zona sul, ficou com o segundo lugar do ranking, com 68 acidentes entre janeiro e maio (três por semana, em média).

Em seguida, aparecem empatadas, com 52 acidentes contabilizados, outras duas avenidas da zona sul: a avenida Interlagos e a avenida Senador Teotônio Vilela (veja o ranking com as dez vias com mais acidentes graves na cidade no infográfico abaixo).

M'Boi Mirim lidera ranking de acidentes graves em São Paulo

Mais da metade das vias com mais batidas fica na zona sul

Seis das dez vias da capital paulista que registraram a maior quantidade de acidentes graves nos cinco primeiros meses de 2015 ficam na zona sul. Isso sem contar a marginal Pinheiros, que corta as zonas oeste e sul da cidade, que aparece em quinto lugar no ranking, com 45 acidentes.

Também figuram nesse ranking vias como a marginal Tietê, a avenida do Estado e avenida Marechal Tito, no Itaim Paulista, zona leste.

Serviço realiza 1.100 atendimentos por dia

O Samu prioriza “os atendimentos de maior gravidade e relevância clínica, conforme portaria do Ministério da Saúde”, segundo a Secretaria Municipal da Saúde.

Na capital paulista, a Central de Regulação do serviço atende cerca de 5.000 ligações diariamente e realiza cerca de 1.100 atendimentos por dia.

O Samu dispõe de uma estrutura que conta com 68 bases, 122 ambulâncias e 36 motolâncias. A zona sul da cidade conta com 30 dessas viaturas (entre carros e motos). Nas outras regiões da cidade, esse número é parecido (na zona leste, há 36, e na norte, 31, por exemplo).

O Samu realiza atendimento pré-hospitalar em locais de acidente de trânsito. Isso consiste em estabilizar a saúde da vítima e levá-la até o hospital mais próximo.

Já o trabalho de resgate propriamente dito, que pode incluir a retirada de vítimas das ferragens de um veículo, é feito pelo Corpo de Bombeiros.

Por que isso é importante?

A Lei nº 9.503/1997 (Código de Trânsito Brasileiro), em seu art. 1º, § 2º, diz que “o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito”.

Esse mesmo artigo, no § 3º, diz que “os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito respondem, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro”.

Velocidade das vias está sendo reduzida, diz CET

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) disse em nota enviada por sua assessoria de imprensa que “a Secretaria Municipal de Transportes está reduzindo a velocidade máxima em vias com maior ocorrência de acidentes e em áreas de maior vulnerabilidade para os usuários”.

“No ano passado, a redução do limite de velocidade foi implementada em 61 km de ruas e avenidas da cidade. A meta é diminuir o limite de velocidade em 100 km de vias até o final deste ano. Neste quadro, estão incluídas as marginais dos rios Pinheiros e Tietê com previsão de redução de velocidade agora em julho.”

A CET disse ainda que irá implantar “uma operação de fiscalização aleatória e alternada em ruas e avenidas da cidade com o objetivo de aumentar a segurança viária e diminuir o risco de acidentes registrados na capital. Outra iniciativa é a continuidade da instalação de novos radares eletrônicos”.

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo