Home > Mobilidade Urbana > Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%

Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%

Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%

Plataforma da estação Sé do metrô durante horário de pico, em dia de chuva, em dezembro. Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas (21/12/2015)

O número de panes nas quatro principais linhas do metrô de São Paulo cresceu 27% (de 58 para 74) entre 2011 (ano do retorno de Geraldo Alckmin ao Palácio dos Bandeirantes) e 2015.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados do Metrô de São Paulo obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

De acordo com as informações disponibilizadas pela empresa, nesse período, o número de ocorrências que causaram impacto significativo na circulação dos trens cresceu ano após ano: em 2012, houve 71; em 2013, 72 e em 2013, 73. (Veja o detalhamento desses dados no infográfico abaixo.)

Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%

Entre 2011 e 2015, a quantidade de passageiros transportados anualmente pelas linhas 1-azul, 2-verde, 3-vermelha e 5-lilás, juntas, cresceu 3% (de 1,087 bilhão para 1,116 bilhão).

Na comparação entre 2014, quando 1,110 bilhão de passageiros utilizou o metrô de São Paulo, e o ano passado, a variação foi 1%.

Com menos usuários, linha 1-azul tem recorde de panes

Em 2011, a linha 1-azul transportou 433,5 milhões de passageiros. Era a mais movimentada do sistema metroviário paulistano. Naquele ano, ela registrou 15 panes.

No ano passado, a linha 1-azul transportou 417,8 milhões de pessoas (3,76% a menos do que em 2011). A quantidade de panes explodiu: foram 29, praticamente o dobro de quatro anos antes.

Já na linha 3-vermelha, hoje a mais movimentada do metrô, as panes têm diminuído nos últimos anos: em 2012, foram 35, em 2013, 26, em 2014, 23 e, no ano passado, 22.

Por que isso é importante?

O metrô de São Paulo conta com uma rede de 80,6 km. Os governos tucanos inauguram em média 2 km de novas linhas, por ano, segundo levantamento feito pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

A Lei nº 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, no seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei diz, no seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Segundo essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”. Isso inclui o Metrô de São Paulo.

Números mostram que metrô é um sistema de transporte regular e seguro, afirma empresa

O Metrô de São Paulo disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que as panes registradas ao longo dos últimos anos são proporcionais ao número de viagens realizadas, à quilometragem percorrida e à quantidade de passageiros transportados.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que a empresa enviou à reportagem:

“Todos os sistemas de metrô do mundo estão sujeitos a falhas e elas são proporcionais ao número de viagens realizadas, à quilometragem percorrida e à quantidade de passageiros transportados. O Metrô de São Paulo transporta 4 milhões de passageiros diariamente, realizando mais de 3.500 viagens diárias, com 60 mil quilômetros percorridos.

No ano de 2015, o número de quilômetros percorridos aumentou na comparação ao realizado em 2014. Em 2015, foram percorridos 18,9 milhões de quilômetros pelos trens do Metrô. No ano de 2014, os trens haviam percorrido 18,1 milhões de quilômetros. Ou seja, um aumento de 4,5% na quilometragem percorrida.

Dessa forma, o número de incidentes notáveis apresenta estabilidade entre os anos de 2014 e 2015, mantendo-se dentro dos padrões internacionais de qualidade e segurança.

Os números mostram que o Metrô de São Paulo é um sistema de transporte regular, confiável e seguro, considerado internacionalmente como um dos dez melhores do mundo.”

Comentários

comentários

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo