Home > Mobilidade Urbana > Linha de ônibus de Pirituba é a campeã de reclamações em SP

Linha de ônibus de Pirituba é a campeã de reclamações em SP

Linha de Pirituba lidera ranking de queixas na cidade de SP

Ônibus da linha 917H/10 (Terminal Pirituba/Metrô Vila Mariana), na avenida Paulista (região central de SP). Foto: Léo Arcoverde/Fiquem Sabendo

A linha de ônibus 917H/10 (Terminal Pirituba/Metrô Vila Mariana) registrou 60 reclamações de passageiros entre janeiro e março deste ano (cinco por semana, em média), o que fez dela a linha campeã de queixas da cidade de São Paulo no primeiro trimestre.

É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da SPTrans (empresa municipal de transporte) obtidos por meio da Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

De acordo com a SPTrans, atrás dela, aparecem no ranking de reclamações as linhas 502J/10 (Estação Autódromo/Metrô Santa Cruz), com 59 queixas, e 574J/10 (Metrô Conceição/Terminal Vila Carrão), com 56 relatos (veja quais foram as dez linhas da capital paulista que receberam mais queixas de passageiros nos três primeiros meses deste ano no infográfico abaixo).reclamação de ônibus

Demora é a principal queixa

Trinta e quatro (56%) das 60 reclamações feitas pelos passageiros da linha 917H/10 (Terminal Pirituba/Metrô Vila Mariana) ao longo do primeiro trimestre tiveram como motivos o intervalo excessivo entre a passagem de um ônibus e outro (17 queixas) e o descumprimento ou a não realização de partidas programadas (17).

Na prática, nesses dois casos, isso significa que o passageiro passa muito tempo à espera dos ônibus dessa linha no ponto (veja o detalhamento desses dados no infográfico abaixo).

queixas

O balanço da SPTrans mostra, ainda, que, ao longo do primeiro trimestre, o número de reclamações contra a linha 917H/10 (Terminal Pirituba/Metrô Vila Mariana) só aumentou: foram 18 em janeiro, 19 em fevereiro e 23 em março.

Segundo a esteticista Vilma Cristina Aguiar, 51 anos, usuária dessa linha há cerca de um ano, uma consequência do intervalo excessivo entre os ônibus é a superlotação. “O ônibus demora para passar e sempre fica lotado”, diz.

A auxiliar de gerência Lina Higuchi, 50 anos, mora na Vila Leopoldina, zona oeste, e há um ano utiliza essa linha para ir ao trabalho, na Bela Vista, região central. Para ela, a falta de regularidade dos ônibus é o principal problema enfrentado pelos passageiros. “Muitas vezes, chego bem mais cedo ao trabalho porque não tenho como contar com essa linha. Se a gente perde o ônibus, não tem certeza de que o próximo passará no horário”, conta.

Por que isso é importante?

A Lei nº 12.587/2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, em seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei prevê, em seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Ainda de acordo com essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”. Isso inclui, por exemplo, os ônibus que circulam na capital paulista.

Fiscalização será intensificada, afirma SPTrans

A assessoria de imprensa da SPTrans disse em nota que “a relação das linhas citadas pela reportagem foi encaminhada à fiscalização” da empresa e que “as vistorias, que já são realizadas de forma permanente, serão intensificadas”.

O órgão informou que a linha 917H/10 (Terminal Pirituba/Metrô Vila Mariana) “está programada para operar com intervalo de cinco minutos durante o pico da manhã e de sete minutos durante o pico da tarde”. “No entanto, em virtude do relato feito pelos passageiros à reportagem, a SPTrans irá realizar fiscalização do cumprimento de partidas e, caso constatadas irregularidades, a empresa responsável será multada.”

A assessoria de imprensa da SPTrans disse que a participação dos usuários na fiscalização do sistema é de grande importância. “Todas as mensagens recebidas são utilizadas para o aprimoramento do atendimento e do sistema de transportes como um todo.”

Segundo o órgão, os passageiros podem registrar suas reclamações por meio do site www.sptrans.com.br/SAC e do telefone 156.

A assessoria de imprensa disse, ainda, que fiscaliza a operação das linhas “nos terminais, faixas exclusivas, corredores, ao longo dos trajetos das linhas, no interior dos veículos e nas garagens das operadoras para garantir o cumprimento dos níveis de qualidade, segurança e desempenho do sistema de municipal de transporte”.

Você também poderá gostar
Como pode a linha 3-vermelha do metrô já ter tido 16 panes só neste ano?
Como pode a linha-3 vermelha do metrô já ter tido 16 panes só neste ano?
Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%
Com 3% a mais de passageiros, panes no metrô de SP crescem 27%
Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos
Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos
23 novos presos por dia exigem a construção de um presídio por mêm em São Paulo
Com 27 novos presos ao dia, SP precisa construir um presídio por mês