Home > Mobilidade Urbana > Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos

Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos

Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, visita canteira de obras da linha 6-laranja do metrô, na zona norte de São Paulo. Foto: Eduardo Saraiva/A2IMG/22/092015

As quatro principais linhas do metrô de São Paulo registraram 64 panes entre janeiro e outubro deste ano. Isso representa uma média de uma ocorrência que interrompeu parcial ou totalmente a circulação dos trens a cada cinco dias.

Maior quantidade de panes registrada no período desde 2011, ela representa uma alta de 7% na comparação com as 60 ocorrências contabilizadas entre janeiro e outubro de 2014. Em relação a 2011 (início do terceiro mandato de Geraldo Alckmin à frente do Palácio dos Bandeirantes), quando houve 49 panes, a alta é de 31%.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados do Metrô de São Paulo obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação). (Veja o detalhamento dessas informações no infográfico abaixo.)

Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos

Problemas na linha 1-azul já superam marca de 2014

Com 26 panes registradas entre janeiro e outubro, a linha 1-azul do metrô já supera o total de interrupções em sua circulação contabilizado em todo o ano passado, quando houve 22 casos.

De 2011 para cá, a linha 1-azul jamais havia registrado um número tão alto de incidentes. Até então, a maior marca era a de 2013, quando o ramal contabilizou 25 panes.

Outra linha que registrou alta no comparativo entre os períodos de janeiro a outubro de 2014 e de 2015 foi a 2-verde. Nela, o número de panes subiu 20% (de 15 para 18).

Na linha 3-vermelha, a quantidade de incidentes se manteve estável: houve 17 ocorrências em cada período.

Já na linha 5-lilás, houve queda de cinco para três panes no comparativo.

Inaugurado em agosto, monotrilho teve três panes

Número de panes no metrô de São Paulo é o maior em cinco anos

Trem do monotrilho da linha 15-prata do metrô de São Paulo. Foto: Guilherme Lara Campos/A2 Fotografia (29/08/2014)

Em operação comercial desde agosto deste ano, o monotrilho da linha 15-prata do metrô (inaugurado após cinco anos de atraso) já registrou três panes neste ano _duas em setembro e uma em outubro.

Esse número é o mesmo contabilizado pela linha 5-lilás entre janeiro e outubro deste ano.

Por que isso é importante?

A Lei nº 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, no seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei diz, no seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Segundo essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”. Isso inclui o Metrô de São Paulo.

Incidentes apresentam estabilidade, afirma Metrô

O Metrô de São Paulo informou por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que, em relação a 2014, o sistema registrou um aumento de 4,5% na quilometragem percorrida e de 5% em viagens realizadas. Para a empresa, as panes “apresentam estabilidade” e “estão dentro dos padrões internacionais de qualidade e segurança”.

Leia a íntegra da nota enviada pelo Metrô à reportagem:

“Todos os sistemas de metrô do mundo estão sujeitos a falhas e elas são proporcionais ao número de viagens realizadas, à quilometragem percorrida e à quantidade de passageiros transportados.

O Metrô de São Paulo, incluindo a Linha 4-Amarela, operada pela ViaQuatro, transporta mais de 4,7 milhões de passageiros diariamente – a metade de todos os passageiros que utilizam trilhos no País – realizando mais de 4.500 viagens diárias ou 70 mil km percorridos. Para se ter uma ideia, todos os dias são feitos cerca de 3 milhões de ciclos de abertura e fechamento de portas nessas linhas.

Os números mostram que o Metrô de São Paulo é um sistema de transporte regular, confiável e seguro, considerado internacionalmente como um dos dez melhores do mundo, com índice de ocorrências notáveis dentro dos padrões internacionais de qualidade e segurança.

No ano de 2015, os números de viagens realizadas e de quilômetros percorridos aumentaram na comparação aos realizados em 2014. Até o momento, em 2015, foram percorridos 17.034.683 km pelos trens do Metrô. No mesmo período do ano passado, os trens haviam percorrido 16.310.285 km. Ou seja, um aumento de 4,5% na quilometragem percorrida. Houve aumento também no número de viagens realizadas. Em 2015 foram 979.288, enquanto que em 2014 foram 932.189, representando um aumento de 5% no número de viagens realizadas.

Dessa forma, o número de incidentes notáveis apresenta estabilidade entre os anos de 2014 e 2015, mantendo-se dentro dos padrões internacionais de qualidade e segurança.”

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo