Home > Mobilidade Urbana > Passageiros do Metrô de SP enfrentam uma pane a cada 5 dias

Passageiros do Metrô de SP enfrentam uma pane a cada 5 dias

Passageiros aguardam trem em plataforma da estação Sé, da linha 3-vermelha do metrô. Foto: Lena Diaz/Fotos Públicas (11/12/2014)

Passageiros aguardam trem em plataforma da estação Sé, da linha 3-vermelha do metrô. Foto: Lena Diaz/Fotos Públicas (11/12/2014)

O Metrô de São Paulo registrou, em 2014, 73 panes que afetaram a circulação de seus trens. Isso representa uma média de uma pane a cada 120 horas (cinco dias).

É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados do Metrô obtidos por meio da Lei nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

De acordo com as informações fornecidas pela empresa, o número de falhas tem crescido nos últimos anos: foram 58 em 2011 (uma a cada 51 horas), 71 em 2012 (uma a cada 123 horas) e 72 em 2013 (uma cada 122 horas).

Entre os motivos dessas panes, diz o Metrô, estão problemas de energia, obstrução das linhas férreas e defeitos nos trens.

Recorde de falhas em 2014 foi puxado por problemas na linha 5-lilás

Uma dos fatores que levaram o ano passado a registrar a maior quantidade de panes em quatro anos foi o fato de a linha 5-lilás ter contabilizado oito ocorrências que afetaram a circulação de seus trens.

Apesar de baixo, esse número representa uma alta significativa em relação aos três anos anteriores: a linha 5 apresentou cinco panes em 2011, apenas uma 2012 e quatro em 2013.

Já as duas principais linhas do metrô _a 1-azul e a 3-vermelha_ registraram, em 2014, uma quantidade de falhas inferior à registrada em 2013: na 1-azul, a queda foi de 25 para 23 casos, e na 3-vermelha, de 26 para 23.

Já a linha 2-verde registrou alta de 17 para 19 panes entre 2013 e o ano passado (veja o detalhamento no infográfico abaixo).

Metro ocorrências

Por que isso é importante?

A Lei nº 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, em seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei, que foi sancionada no dia 3 de janeiro de 2012 e entrou em vigor 100 dias depois, ou seja, no dia 13 de abril do mesmo ano, diz, ainda, em seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Segundo essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”. Isso inclui, por exemplo, o Metrô de São Paulo.

Número de falhas é compatível com sistema, diz Metrô

A assessoria de imprensa do Metrô disse em nota que todos os metrôs do mundo estão sujeitos a falhas e que o número de ocorrências nos últimos anos é compatível com a quantidade de viagens e passageiros transportados e com a quilometragem percorrida diariamente pelos trens do sistema metroviário paulista.

Segundo o órgão, em 2014, o Metrô registrou “4,04 ocorrências notáveis por milhão de passageiros, índice que está dentro dos padrões internacionais de qualidade e segurança”.

Ainda de acordo com o Metrô, “o sistema metroviário paulista transporte mais de 4,7 milhões de passageiros por dia e é considerado um dos dez melhores do mundo”.

Você também poderá gostar
Vinculada a propina da Odebrecht, linha 2-verde é a que tem mais panes em São Paulo
Vinculada a propina da Odebrecht, linha 2-verde do metrô é a campeã de panes em SP
Panes no metrô de São Paulo quase dobram em cinco anos
Panes no metrô de São Paulo quase dobram em cinco anos
Falhas da Eletropaulo causam metade das panes em semáforos de São Paulo
Falhas da Eletropaulo causam metade das panes em semáforos de SP
São Paulo teve 460 quedas de árvores em maio
São Paulo teve 460 quedas de árvores em maio