Home > Segurança > Roubos e furtos de celulares crescem 19% na cidade de São Paulo em um ano

Roubos e furtos de celulares crescem 19% na cidade de São Paulo em um ano

Roubos e furtos de celulares crescem 19% na cidade de São Paulo em um ano

Celulares apreendidos com casal preso por receptação no centro de São Paulo. Foto: Polícia Civil/Divugação

538 celulares foram roubados ou furtados a cada 24 horas, em média, na cidade de São Paulo em 2016. Entre janeiro e dezembro, 196.316 aparelhos foram levados das vítimas por criminosos em toda a capital paulista, número 19% aos 164.316 furtos e roubos contabilizados na cidade em 2015. É o que apontam dados da CAP (Coordenadoria de Análise e Planejamento), da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, do governo Geraldo Alckmin (PSDB), obtidos com exclusividade pelo Fiquem Sabendo por meio da Lei de Acesso à Informação.

Apesar de representarem mais de 60% do total de assaltos no Estado, os roubos de celulares não fazem parte estatística criminal divulgada mensalmente pela Secretaria da Segurança. O Estado do Rio de Janeiro divulga o total de telefones roubados a cada mês, por região, através do Instituto de Segurança Pública.

De acordo com dados oficiais, o número de roubos e furtos de celulares em São Paulo em 2016 foi o mais registrado em um ano desde 2011. Veja, no quadro abaixo, o detalhamento desses dados:

Roubos e furtos de celulares crescem 19% na cidade de São Paulo em um ano

Troca de comando em São Paulo

O Estado de São Paulo está em plena transição com vistas à troca do comandante-geral da Polícia Militar.

Segundo informações de bastidores, há a expectativa de que o coronel Nivaldo Restivo assuma o lugar do coronel Ricardo Gambaroni durante solenidade, no próximo dia 10 de março, na Academia do Barro Branco, na zona norte de São Paulo.

Um dos motivos da insatisfação do governo com Gambaroni é o crescimento dos roubos no Estado, que cresceu 5,19% em 2016 e bateu o recorde de registros desde 1999, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

Você também poderá gostar
Governo Bolsonaro terá de divulgar pensões de servidores inativos; pagamentos chegaram a R$ 490 bilhões em 6 anos
Veja como conseguir dados do governo anonimamente
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo
Lei de Acesso: o salvo-conduto dos jornalistas