Home > Transparência > Veja como conseguir dados do governo anonimamente

Veja como conseguir dados do governo anonimamente

Pedir informações ao governo federal agora ficou mais seguro. A partir deste mês, o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) habilitou um dispositivo que permite que qualquer cidadão possa solicitar informações e dados públicos de forma anônima. O objetivo é garantir que as respostas não sejam diferentes, dependendo de quem pergunta. A mudança foi revelada pelo blog Públicos, do jornal O Estado de S. Paulo, em agosto e passou a valer agora.

A medida é defendida por especialistas, por garantir o princípio da impessoalidade na administração pública. O Artigo 37 da Constituição Federal prevê cinco princípios estruturais do poder público: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. A Lei de Acesso à Informação é justamente um instrumento para garantir o princípio da publicidade, mas acaba esbarrando no principio da impessoalidade ao permitir que os órgãos questionados tenham acesso aos dados do requerente.

Para fazer a solicitação de informação no e-Sic do Governo Federal, o cidadão ainda tem que cadastrar um usuário e informar nome físico ou jurídico e um documento (RG, CPF ou CNPJ). A diferença é que agora foi adicionada a opção “gostaria de ter a minha identidade preservada, conforme o disposto no art. 10, § 7º da Lei nº 13.460/2017”. Uma vez selecionada a opção, o portal então pede que o usuário demonstre estar ciente das implicaçães do pedido anônimo, como pode ser visto na imagem abaixo. A CGU ainda terá accesso aos dados de quem fez o pedido, mas o órgão que responderá, não.

A obrigatoriedade da identificação nos pedidos sempre foi dos principais motivos de crítica entre os usuários da Lei de Acesso. No livro “Identidade Revelada“, a organização Artigo 19 reuniu uma série de denúcias decorrentes do uso indevido das informações fornecedias pelo cidadão, desde respostas com viés quando alguém se identifica como jornalista até ameaças pessoais. O texto alerta justamente para a falta de mecanismos que garantam proteção à identidade dos requerentes de informação; a medida do Governo Federal já é um passo nesse sentido.

Para as demais esferas do poder público, o cidadão pode recorrer à plataforma “Queremos Saber”, lançada no início do mês pela Open Knowledge, rede internacional que trabalha pelo Conhecimento Livre.

Você também poderá gostar
Governo Bolsonaro terá de divulgar pensões de servidores inativos; pagamentos chegaram a R$ 490 bilhões em 6 anos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo
Lei de Acesso: o salvo-conduto dos jornalistas
Aeronáutica tem 1 munição desviada a cada 12 horas; Exército não faz as contas